10 curiosidades sobre o fruto do guaraná que você precisa saber

Até dia 12 de janeiro, o Sesc São Paulo estará com a exposição “Guaraná da Amazônia”, levando a história, a lenda e a cultura em torno do guaraná. São fotos lindíssimas dos fotógrafos Michael Dantas e Bruno Kelly, ambos moram e atuam em Manaus.

Durante a exposição, o visitante poderá conhecer mais sobre a origem do fruto, o deslocamento geográfico realizado ao longo do tempo, além de conhecer o modo de produção e ainda o impacto do guaraná na economia e na cultura. Legal, né?! Queria tá em Sampa pra ir! #choros.

Por conta da exposição, resolvi falar um pouco sobre o fruto, porque tenho certeza que muita gente tem curiosidades sobre a lenda do guaraná e também sobre os benefícios que ele traz pra saúde.

Então, já que nem todo mundo vai poder conferir de perto essa lindeza de exposição, confere aqui 10 curiosidades sobre o fruto do guaraná e claro, as fotos belíssimas dos fotógrafos!

expo.jpg

1. A lenda diz que o fruto do guaraná são olhos de um índio

Diz a lenda que um casal da etnia Maué queria muito ter um filho, mas não conseguiam, daí, eles pediram à Tupã (Deus). Assim nasceu um índio que se tornou muito bom pra comunidade, só que Jurupari (Deus da escuridão) tinha inveja dele e resolveu se transformar numa cobra para matá-lo. 😮

Tupã, claro, ficou bem chateado, e ordenou que tirassem os olhos do menino e regassem por 4 luas, com lágrimas, e dali nasceu a “planta da vida”, que dá força e vitalidade aos jovens e aos mais velhos, o guaraná.

1

2. Maués é considerada a capital mundial do guaraná

Maués, município do Amazonas (270 km de Manaus), é conhecida por sua grande produção de guaraná (ver depois item 10), por isso é conhecida também como a “Terra do guaraná”. O nome da cidade originou da etnia Sateré-Mawé que nessas terras vivem.

E é na terra do guaraná que tem uma fábrica da Ambev, e é ali, na Fazendo Santa Helena que começa a ser produzido um dos guaranás mais consumidos no Brasil, o guaraná Antarctica.

2.jpg

3. O guaraná tem auto valor energético

Sabiam que o guaraná (nome que vem do Tupi ‘Waraná’) tem propriedades estimulantes? Pois é, a ingestão dele aumenta a resistência física, melhora os esforços mentais e musculares também.

Não é a toa que o guaraná, hoje em dia, é muito consumido, não só no norte, mas no Brasil todo, em formato de xarope que colocam no “açaí”. Aqui a gente toma uma vitamina de guaraná muito maravilhosa que todo mundo deve experimentar quando vier pra Manaus. É bom demais! #quero.

3. bruno

4. O fruto prolonga a longevidade

Esse fato é comprovado pelos próprios moradores do município de Maués, já que lá é uma das melhores taxas de expectativa e qualidade de vida na Amazônia. #Ahazaram.

4.bruno

5. Existe uma festa que comemora o dia do fruto

A Festa do Guaraná é realizada em Maués (claro), acontece todos os anos na segunda quinzena do mês de novembro.

São três dias de muita festa, com apresentações culturais que encenam a lenda e a cultura do guaraná. Além disso, durante a festa tem shows locais e nacionais, e também muita comida típica boa.

Ahhh, também tem um concurso de beleza onde é eleita a rainha do guaraná, legal, né?! Nunca fui, mas morro de vontade de ir!

5.bruno.jpg

6. O guaraná é considerado afrodisíaco e ajuda na perda de peso

Paraa tudo! Sabiam que o consumo do guaraná aumenta o gasto calórico diário? E também ajuda a diminuir o apetite, por manter estáveis os níveis de glicose no sangue?! #quero 😮

Ele também é considerado um afrodisíaco porque aumenta a disposição física e desempenho sexual. Mas oh, se forem testar, tomem cuidado, porque ele é energético né (dose recomendada é de 1g apenas). E como todo energético tem suas contraindicações..grávidas, lactantes e pessoas com problemas do coração não podem consumir guaraná. #FicaoAlerta.

6

7. Os índios Sateré-Mawé inventaram a cultura do guaraná

Os índios Sateré-Mawé são os inventores da cultura do guaraná, eles que domesticaram essa planta, que é uma trepadeira silvestre, e criaram o processo de beneficiamento da planta, e é por causa deles que o guaraná é conhecido e consumido no mundo todo. ❤

Em 2015 tive a honra de conhecer a Terra-Indígena Andirá-Maraú, lar dos Sateré-Mawé, e pude vivenciar de pertinho a cultura no entorno do guaraná. O INPA, UFAM, IDESAM e outras instituições fazem um trabalho bem bonito com a comunidade relacionado à agroecologia.

Quem quiser saber mais tá aqui o link da matéria aqui.

7.jpg

8. A Europa é a principal consumidora do guaraná Sateré

Quase 100% do guaraná produzido pelos Sateré-Mawé vai para a Europa. Lembro que na viagem que eu fiz para o lar dos Sateré, um dos pesquisadores comentou que lá na Europa eles adquiriam o hábito de consumir o guaraná diariamente, mas claro que não são todos os países.

8

9. Os índios usam a língua do peixe pirarucu para ralar o guaraná em bastão

O mais comum é encontrar o guaraná já em pó ou em formato de xarope, né?! Mas ele também pode ser vendido em bastão, e para ser consumido basta ralar o bastão de guaraná na língua do pirarucu, que um peixe maceta daqui da Amazônia.

9

10. O Guaraná Antartcica já fez um comercial bem legal em Maués

Ano passado o Guaraná Antarctica gravou em Maués esse comercial lindo sobre a época da colheita do fruto. O mais bacana foi que eles chamaram os produtores pra participar do vídeo, valorizando o trabalho essencial da comunidade. ❤

10.bruno.jpg

E é na Fazenda Santa Helena que o Guaraná Antarctica estuda e produz conhecimento sobre as melhores práticas para o cultivo do fruto, que anualmente são compartilhadas com as mais de 2500 famílias da região que vivem do cultivo de guaraná. Assistam o comercial! 🙂

Eles também realizaram o sonho do Danilo, filho de um dos produtores de guaraná, que era entrar num estádio de futebol e ver a seleção brasileira, e o Guaraná Antartica realizou o sonho dele. O vídeo é bem emocionante, se preparem! #choros

Eaí, sabia tudo isso sobre o guaraná?!

Sobre os fotógrafos

bruno-perfil)

Bruno Kelly – É formado em jornalismo e tem 33 anos, natural do interior de São Paulo. Em 2009 se mudou para Manaus, onde desenvolve trabalhos para diversos veículos e ONGs do Brasil e exterior. Em suas documentações aborda a rica fauna e flora local assim como os crimes contra esse patrimônio mundial, a Amazônia.

michael-foto

 

 

Michael Dantas – Natural de Manaus (AM), 32 anos, trabalha como repórter fotográfico desde 2006, e já atuou nos principais jornais da região norte e nordeste. Fascinado pela região Amazônica, o fotógrafo registra em suas lentes imagens da cultura cabocla, do cotidiano e das belezas naturais do norte do país.

PS:. As fotos não podem ser utilizadas sem permissão dos autores.

Por Fernanda Farias – Jornalista, idealizadora do Blog Valoriza Sim.

8 motivos para curtir um REGGAE mara nesse fim de semana

Reggae é muito bom, né, gente? É uma música que acolhe a alma, que quando a gente dança parece que estamos flutuando de tanta leveza que é esse som. Eu ADORO!

E nesse sábado, 4 de novembro, vai ter uma sonzera respeitada nessa Manaus! ❤

É o 1º Circuito Reggae Manaus, que vai acontecer lá na Rua José Clemente com a Lobo D´almada, no centro (na rua do Caldeira, atrás da Santa Casa de Misericórdia)

Sei que só de falar que é reggae vocês já querem ir. Mas mesmo assim vou dar 8 motivos pra querer ir dicunforça.

circuito-reggae

1. É um evento estilo Festival

Serão 10h de muita músicaa! Olha o que vai rolar:

16:00 – Manaura Roots – siga: @manauararoots92
16:40 – Reggae a Selva – siga: @banda_reggae_a_selva
17:20 – Cileno – siga:@cilenoconceicao
18:00 – Solar Roots – siga:@solarroots
18:40 – La Responsa – siga:@bandalaresponsa
19:20 – Daniel (Linha Rasta) e Zelito (Garras de Leão)
20:00 – República Regional – siga:@republicaregional
20:40 – Ponto Vital
21:20 – Johnny Jack Mesclado
22:00 – Santakaya – siga:@santakayareggae
22:40 – Canhamukaya

cileno

2. Bandas consolidadas de Manaus vão tocar

É muito bacana prestigiar nossas bandas de reggae que já estão na estrada um tempão, já sabemos todas as músicas e é só festa!! o/

Cileno, Jonnhy Jack, Banda linha Rasta, Garras de Leão, e Canhamukaya são exemplos das bandas consolidadas em Manaus.

Jonny jackBanda Jonnhy Jack Mesclado é uma das bandas bem famosas de Manaus.

3. Chance de conhecer o que tem de novo no cenário regueiro

Conhecer bandas novas também é muito bom!! Sempre tem aquela música com a qual nos identificamos.

Manauara Roots, Santakaya, La Responsa, República Regional, Ponto Vital, Solar Roots, Reggae a Selva, são algumas bandas consideradas novas no cenário regueiro da cidade.

La responsa.jpgLa Responsa é uma banda considera nova, mas que vem agradando o público.

solar roots.jpgAssim como a banda Solar Roots que vem conquistando seu espaço.

4. Conhecer uma banda de reggae de fora, a Reggae Distrada

A banda reggae de Distrada estará com o vocalista Adriano fazendo participação no show da Canhamukaya. Ele já tem trabalho gravado e vem divulgando em todo Brasil” – Elson Baruk, organizador do evento.

5. O ingresso é super em conta

R$5 contos, minha gente, apenas cinco reais. Massa, né? Sobra mais pra comprar água (cof, cof), cerveja, uns bons drinks, e tudo mais. =]

manauara roots

Banda Manauara Roots marcará presença no evento.

6. Exposição de trabalhos artísticos no local

Serão expostos trabalhos variados de artistas locais, hippies vendendo artesanato, tudo de bom. Não sei vocês, mas eu amo aqueles brincos de penas e também aquelas tornozeleiras de corda colorida, sempre tô com duas nos tornozelos, porque Já abençoa! 🙂 ❤

Santa Kaya.jpgA banda Santa Kaya promete uma sonzera respeitada no festival

7. Feira de roupa, vinis, CD´s e DVD´s

Olha isso, que bacana, gente!! No dia do Festival a gente vai poder adquirir camisas, cd´s, dvd´s e até vinis das bandas de Reggae local preferida. 😮

Daniel-linha rasta.jpgDaniel da Linha Rasta será uma das atrações do dia.

8. Fortalecer e apoiar os músicos locais

É muito legal gostar, ouvir, curtir vários artistas do mundo todo, mas como é importante apoiar a música local, né não?! E para apoiar, antes de tudo, é preciso conhecer! 🙂

ponto VitalBanda Ponto Vital tocará a partir das 20h40 da noite.

E eventos como este nos dão oportunidade de conhecer MUITO sobre as bandas e músicos que estão tocando na cena amazonense.

Gostou? Então, Bora todo mundo! O/

11 fotos clichês que todo mundo quer em Manaus

Todo mundo gosta de uma foto clichê em qualquer cidade, em Manaus não seria diferente. Aqui tem tantos lugares maravilhosos para passear, contemplar e, claro, fotografar! \o/

Listei algumas fotos bem legais de amigos em alguns lugares mais clichês de Manaus.

Então lá vai!

  1. No Teatro Amazonas


“O Teatro Amazonas é nossa famosa casa de espetáculos, que todo mundo ama, que todo mundo quando vê pessoalmente fica deslumbrado. O Teatro Amazonas realmente é um lugar encantador por fora, e por dentro ele se torna mágico, para mim é um lugar inspirador. Todo Amazonense precisa visitar, seja a visita guiada (que é grátis para amazonense) e também assistir um espetáculo na casa, seja a filarmônica, grupo de dança, peças de teatro, tudo vale muito a pena nesse lugar!”. – Hadna Abreu, Artista Visual, manauara.

hadna.JPG

Falando em Teatro Amazonas e em Hadna Abreu, o SORTEIO dessa ilustração que ela fez do Teatro ainda tá valendo. Corre lá no instagram pra concorrer! ❤

  1. Em algum Flutuante

E um lugar com uma linda paisagem, que me mostra como e bom estar em contato com o ambiente natural”. – Iris Rianne, Bióloga, de Sergipe, mora em Manaus.

No dia da foto foi a primeira vez que fui num flutu e ir lá me trouxe uma sensação muito boa de pertencer a algo muito grandioso e belo, a natureza”. – Kamile Vieria, estudante de Engenharia Ambiental, de Belém (PA), mora em Manaus.

iress.jpg

  1. Fazendo sup no rio negro

A prática de SUP no Rio Negro é uma forma diferente e barata de contato com a natureza. Você não depende de uma lancha ou jet pra passear por essa estrada fluvial. Dependendo da sua vibe você pode ir sozinho (perfeito pra uma meditação) ou acompanhado dos amigos, porque compartilhar desse tipo de experiência também é uma forma de amor. O quão longe e imerso na atividade a pessoa vai depende única e exclusivamente dela mesma. É muito bom”. – Leonardo Ramos, Técnico em Eletrônica no INPA, mora em Manaus.

leo

  1. Na Ponta negra

“A ponta negra é um local em Manaus onde a cidade e a natureza se encontram. E isso prova que as diferenças unem e não separam”. – Daniel Jordano, jornalista, mora em Boa Vista.

dani

Karla Rosas, Blogueira de Moda (@barefashionweek), mora em Manaus.

Olhem esse pôr do sol maravilhoosooo! ❤

FullSizeRender (1)

Manaus tem seus encantos, só precisa ser mais apreciada por quem aqui reside”. – Júlia Ferreira, Engenheira de Alimentos, Paraibana, mora em Manaus.

FullSizeRender (3)

Jéssica Ramos, Skatista, mora em Manaus.

IMG-7330.JPG

  1. Vista pra Ponte Rio negro 

Contemplar a beleza do Rio Negro e o pôr do sol é o verdadeiro alimento para a minha alma. Só Manaus/Amazonas tem esse privilégio”. – Hiago Henrique, estudante, mora em Manaus.

hiago.jpg

  1. Na torre do Musa

Manaus é terra boa, cheia de peculiaridades, conhecer a torre do MUSA, foi uma experiência incrível, com 42 metros e 242 degraus a vista do topo da torre é maravilhosa, dá pra vê o imenso verde das árvores, o azul lindo do horizonte e um por do sol que renova as energias.
Vale a pena cada degrau!”. – Kayte Botelho, Cirurgiã Dentista, mora em Manaus.

FullSizeRender (2)

Gosto muito do Musa por dois motivos: ele me proporciona aventura e encantamento. A primeira vez que fui foi tão incrível que voltei lá mais duas outras vezes e levei pessoas queridas comigo para conhecer um pouco mais dessa mini amazônia que tem ali dentro”. – Caroline Rocha, jornalista, mora em Dublin.

carol.jpg

  1. Com alguma comida típica, como tambaqui, tacacá e é claro, o açaí

Açaí é um caso de amor, não consigo pensar no norte sem pensar nesse fruto que já me fez tão feliz. Se não for para tirar fotos tomando aquele açaí maroto em um dos pontos turísticos de Manaus, é melhor nem ser Amazonense”. – Ann Kath – blogueira no Amazonas Atual, mora em São Paulo.

ann.jpg

  1. No Bosque da Ciência

Pra mim é um lugar Irresistível! Passo todos os dias por esses tanques, mas não canso de separar alguns minutinhos pra apreciar esses animais tão serenos! É minha meditação diária! Sou privilegiada de trabalhar no Bosque!”. – Fernanda Reis, Bióloga e Educadora Ambiental, de Sergipe, mora em Manaus.

DCIM100GOPROGOPR2116.

  1. Com as vitórias-régias

Eu amei muito esse lugar, as vitórias-régias são lindas! É um ótimo lugar para vistar, você pode meditar e tirar o estresse do cotidiano”. – Luciana Costa, fisioterapeuta, manauara, mora em Gramado.

luu.jpg

  1. Com os grafites lindos da cidade

“Eu acho muito legal os grafites. Adorei mais ainda os “novos” – na época que sai de Manaus ainda não tinha alguns, como o do Viaduto da Djalma Batista! É melhor grafitar do que “pixar”, deixa a cidade alegre. Acho válido como uma forma de expressão também!”. – Jéssica Zany, Designer de Moda, manauara, mora em Curitiba.

zany.jpg

É uma das ruas que eu mais amo, tem várias obras lindas e dá vontade de tirar foto com cada arte, outra que é impossível não abrir um sorriso na parte do muro que tem o nome das crianças. Certeza que Manaus vai ficar mais linda com várias grafites assim espalhadas pela cidade!”. – Glenda Nayara, estudante, mora em Manaus.

FullSizeRender (4).jpg

  1. Na praia da Lua ou no Tupé

Senti uma sintonia muito forte entre a beleza natural e minha satisfação pessoal. A praia da Lua, é uma praia diferenciada, transpassa calmaria, a água é quentinha, relaxante e ainda proporciona uma visão maravilhosa. E digo mais, foi amor a primeira vista, é um dos lugares lindos que Manaus tem a oferecer”. – Dayane Santos, professora de matemática, mora em Itabaiana (SE).

Dayy.JPG

Géssica Araújo (manauara) e Marília Gabriela (paulista), moram em São Paulo.

geh.JPG

Eaí, qual foto clichê você mais gostou? Faltou alguma? Manda pra gente! ❤

8 motivos para levar sua família para conhecer o Bosque da Ciência

De lá pra cá, de cá pra lá e assim é a nossa semana. Uma correria. Quase não sobra muito tempo para desfrutar da companhia da família, né? E como esse tempo é importante para harmonizar a nossa vida.

Então, olha só essa dica para quem está procurando um local em Manaus para curtir em família, ainda ter contato com a natureza e sem gastar muito.

O Bosque da Ciência é uma ótima opção de lazer em Manaus para você passear com as crianças. São mais de 13 (treze) hectares de muito verde e trilhas. O local está repleto de animais, de conhecimentos e curiosidades sobre a região amazônica.

Onde fica: Localizado na Avenida Otávio Cabral, Aleixo, o Bosque pertence ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), que é o responsável por cuidar do Bosque e de toda biodiversidade do lugar.

Dá só uma olhada nos 8 motivos que nós separamos para você conhecer, explorar e se encantar pelo Bosque da Ciência, confira!

Por Caroline Rocha

  1. Conhecer os Peixes-bois da Amazônia

Já ouviu falar desse mamífero que é nativo da região amazônica? Lá no Bosque você pode ver esses animais de perto e ainda fotografá-los. Pode também aprender sobre eles com a Associação Amigos do Peixe-boi, a AMPA, que possui um projeto de preservação dos mamíferos aquáticos da Amazônia que estão na lista de animais ameaçados de extinção.

peixe-boi.jpg

Esperamos que a sociedade garanta a preservação do peixe-boi da Amazônia para que as próximas gerações desfrutem de um meio ambiente saudável e equilibrado, respeitando todas as formas de vida, por isso realizamos Educação Ambiental em várias comunidades ribeirinhas, em escolas, e em eventos também”. – Diogo Souza, Biólogo colaborador da AMPA.

Saiba mais sobre a AMPA aqui.

  1. Ver a maior folha do mundo e aprender sobre a vida na Amazônia 

Sem deixar o aprendizado de lado, a Casa da Ciência é outra atração para ser visitada e explorada afundo, pois no local há muito que aprender sobre a Amazônia. A Casa da Ciência é um espaço dinâmico e interativo. E lá você encontra a maior folha do mundo (segundo o Guinness Book), com 2,5 m de comprimento e 1,44 de largura, a coccoloba corre risco de extinção, segundo o pesquisador do INPA que a encontrou, Cid Ferreira.

DCIM100GOPROGOPR2180.

A ideia do lugar é mostrar aos visitantes que as pesquisas científicas podem intervir diretamente no nosso dia a dia. A Casa conta com painéis e maquetes informativas sobre a Amazônia, aquários, jogos lúdicos, e exposições”. – Fernanda Reis, Educadora Ambiental do Bosque da Ciência.

casa-da-ciencia.jpg

  1. Fazer caminhada ao ar livre e piquenique

Lá você também pode fazer um piquenique, bater um papo com a família enquanto toma um sorvete de açaí, chocolate, morango, seja qual for o seu gosto. Vale lembrar, após comer, jogar os resíduos e as sobras nas lixeiras, que estão espalhadas por toda parte.

escada.jpg

O Bosque tem trilhas amplas e extensas para você caminhar livremente e desfrutar o ar puro que a natureza nos oferece. As trilhas possuem sinalizações, então você pode andar pelo local sem a preocupação de se desviar da rota. Existem também mapas do Bosque fixados em pontos estratégicos”. – Fernanda Reis, Educadora Ambiental do Bosque da Ciência.

  1. Conhecer a “Tanimbuca” árvore com mais de 500 anos

A Ilha de Tanimbuca, localizada no coração do Bosque, conserva a árvore mais antiga do local, a Tanimbuca. Essa árvore possui mais de 500 anos de existência e ainda está intacta. Olhem que fantástico!

A Ilha é rodeada por calhas e espelhos d’água onde habitam peixes e tartarugas. E uma coisa bem legal do lugar é que você pode alimentar os peixes e as tartarugas. A ração pode ser comprada lá mesmo.

tani.jpg

  1. Comprar artesanatos na Maloca e contribuir com as comunidades indígenas

A Maloca é um ambiente rico em cultura indígena. Lá é possível comprar artesanatos e acessórios indígenas produzidos pelos próprios nativos da região amazônica.

A Maloca abriga artesãos de diversas etnias da Amazônia, que expõem seus ritos e modo de viver em suas artes. O espaço foi construído todo em palha e com grafismos indígenas.

maloca.jpg

  1. Conhecer o maior Centro de quelônios da Amazônia

O Centro de quelônios da Amazônia (Cequa) é um lugar onde pesquisas são desenvolvidas para a conservação, ecologia e biologia dessas espécies. O espaço é aberto ao público e lá existem aquários e incubadoras para tartarugas. É uns dos locais que valem muito a pena visitar no Bosque porque é rico em curiosidades sobre esses pequenos seres.

tartaruga.jpg

  1. Apreciar o lindo Lago Amazônico

E o que não poderia faltar nessa “mini-amazônia em centro urbano” é um lago. O Lago Amazônico retrata um pouco do que é encontrado na fauna e flora da região. É ambiente habitado por tartarugas da Amazônia e peixes como tambaqui, tucunaré e pirarucu. Também é possível adquirir ração e alimentar os animais. A beira do lago existe alguns pequenos chapéus de palha que são perfeitos para se sentar e fazer um piquenique com a turma.

lago.jpg

  1. Conhecer um modelo de casa ecológica

Falar em ar livre e em verde é também falar de sustentabilidade. Os pesquisadores do Inpa encontraram um jeito mais econômico e sustentável para se construir uma casa, utilizando sobras de madeira de sete espécies de árvores amazônicas, eles construíram uma moradia confortável e aplicável. Você pode ver esse resultado e saber mais visitando a Casa de Madeira, que tem exibição fixa no Bosque da Ciência.

casa-de-madeira.jpg

Bônus: O Bosque é considerado um dos melhores lugares da América do Sul

Em mais de 20 anos, o local já recebeu quase dois milhões de visitantes do mundo todo. Em 2014, foi ganhador do Prêmio Travelere’s Choice do site de viagens TripAdvisor, como um dos melhores zoológicos e aquários do Brasil e ocupa a 7ª posição na lista dos 25 jardins zoológicos da América do Sul para ser conhecer.

Você pode saber mais acessando o site do Bosque da Ciência.

Me diz se não vale a pena levar a família toda para conhecer essa maravilha?

fer-foto.jpg

Dias e horários

O Bosque da Ciência está aberto para visitação, de terça a sexta-feira, das 9 às 12 horas e das 14 às 16 horas. Sábados, domingos e feriados de 9 às 16 horas. O público em geral paga R$ 5,00. A entrada é gratuita para crianças até 10 anos e pessoas a partir de 60 anos.

Sobre a autora

Caroline Rocha é jornalista manauara, colaboradora do Blog. Trabalhou no INPA, e atualmente mora em Dublin, onde estuda e trabalha na cidade.

#Manaus – 9 curiosidades históricas que talvez você não saiba

A cidade de Manaus abriga muitas curiosidades históricas e algumas a gente nem conhece, né?! Então pedi ajuda do meu querido amigo Bruno Braga, professor de História da Ufam, para desvendar umas curiosidades históricas pra gente. Vamos lá!

Por Bruno Braga e Fernanda Farias

1.O Teatro Amazonas já foi cinza azulado

Na reforma realizada em 1972, o Teatro Amazonas foi pintado de cinza-azulado. E ele permaneceu assim até 1989, quando voltou a ser pintado de rosa imperial, que vemos hoje. ❤

Eu não sei vocês, mas eu acho a cor do Teatro muito maravilhosaa, e acho que a imponência dele não combina muito com a cor cinza, mesmo eu gostando muito de cinza 😀

1
Foto: Domingos Cavalcante – Dedoc

2. O primeiro nome da cidade foi Barra do Rio Negro

Segura essa Barra que foi mudar de nome algumas vezes até chegar no nome “Manaus”.

Em 1848, a vila de Manáos foi promovida a categoria de cidade, e passou a se denominar cidade da Barra do Rio Negro.

Porém, em menos de dez anos, no ano de 1856, muda o nome da Cidade da Barra do Rio Negro para o de Cidade de Manáos, e só depois virou Manaus.

2

Foto: Paul Marcoy – Viagem pelo Rio Amazonas

3. Manaus não foi a primeira capital do Amazonas, foi Barcelos

O município de Barcelos tem uma importância enorme para a nossa história. Barcelos foi a primeira capital da província do Amazonas, e assim foi até 1758, quando a capital passou a ser Manaus.

3

Foto: Barcelosnanet.com

4. A nobreza de Manaus mandava as roupas para Rio de Janeiro e Paris para lavar

A realeza que morava em Manaus na época áurea da borracha dizia que as águas do Rio Negro deixava as roupas manchadas. Será que na época eles já sabiam sobre o cauxi?! Pra quem não sabe, cauxi são (micro) esponjas de água doce que deixam um aspecto escuro nas roupas, elas ficam mais expostas no rio na época da vazante.

Então por causa do cauxi as bonitas da realeza mandavam as roupas para o Rio de Janeiro e para Paris para lavarem. Fico pensando quanto tempo elas ficavam andando sem roupa! Pra mim, elas só queriam um pézinho pra ficar que nem os índios haha. (brincadeira).

5. Manaus tem a primeira universidade do Brasil, a UFAM

Existem algumas universidades que dizem o contrário, mas está registrado no Guiness Book (o livro #duzRecordisTudo) de 1995, que a Universidade Federal do Amazonas é a primeira Universidade do Brasil sim!

A Ufam teve sua origem da Escola Universitária Livre de Manaós, criada em 1909. Em 2002 ela passou a ser chamada de Universidade Federal do Amazonas.

5.png
Foto: Petcomufam.com

6. O Teatro Amazonas já foi usado para festas de aniversário e formaturas

A nossa linda casa de ópera e espetáculos cênico-artísticos foi durante muito tempo utilizado para outros fins, como festas, banquetes, e formaturas.

A mais famosa soirée que houve no interior desse local foi o aniversário natalício de então governador do Amazonas, Silvério José Nery, realizado no dia 08 de outubro de 1901, com toda pompa e glamour que se podia esperar.

7. Manaus foi destaque na exposição Universal de Chicago em 1893

No século XIX, havia um acontecimento internacional, chamado de “Exposição Universal”, que visava apresentar ao mundo aquilo que cada localidade tinha de melhor. E Manaus foi apresentada em diversas exposições universais. #chique.

O destaque é do ano de1893 na Exposição Universal de Chicago! Manaus foi ali apresentada pelo álbum The City of Manáos and the Country Rubber Trees, que traduzimos por “A Cidade de Manaus e o País das Seringueiras”.

7Capa do álbum souvenir da Exposição de Chicago – Manaus, 1893. Sem autor.

8. O IEA é a escola mais antiga de Manaus

O Instituto de Educação do Amazonas –IEA é a mais antiga escola pública da cidade de Manaus. Em 04 de novembro de 1880, é assinada a Lei que instaura a criação de uma Escola Normal, que formasse professores para a Educação Básica.

E esta foi a missão do IEA por longos anos: formar professores – normalistas. A denominação Instituto de Educação do Amazonas data de 03 de outubro de 1965, no governo de Arthur César Reis.

E ainda hoje, o IEA se mantém como uma das escolas mais queridas e destacadas da cidade por sua importante missão que foi educar gerações de manauaras ao longo dos anos. Lindeza pura!

8

9. Igreja Matriz foi a primeira obra arquitetônica da cidade

A Catedral de Manaus, foi a primeira grande obra arquitetônica construída na cidade, e na então província do Amazonas. Levou “só” 20 anos para a obra da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição ser finalizada. 😮  Sendo inaugurada em 15 de agosto de 1878.

O estilo arquitetônico da obra é, segundo especialistas, o Neoclássico, embora apresente elementos de outros estilos como o barroco, e faz alusão também às culturas locais com elementos e grafismos marajoaras que se passam perfeitamente por greco-romano. Coisa fina!

9.jpg
Panorama da igreja da Matriz. Foto: Álbum Visitas de Manaós de George Huebner

Sobre os autores

Bruno Braga é professor da UFAM, é graduado em História e Geografia, é mestre em História Social pela UFAM, e também pós-graduando em Gestão e Produção Cultural na UEA.

Fernanda Farias é jornalista, idealizadora do Blog Valoriza sim, é especialista em Comunicação Empresarial e Mídias Sociais, e pós-graduanda em Gestão e Produção Cultural na UEA.

Manaus ‘escrita’ com luzes e sombras

Ainda como parte das comemorações do aniversário de Manaus, o fotógrafo Lucas Amorelli fez um vídeo muito massa, para o blog, com as fotos que ele mais gosta da cidade de Manaus.

“Morei durante 1 ano em Manaus, e isso mudou minha vida e meu jeito de fotografar. Eu tive oportunidade de conhecer vários lugares do Estado do Amazonas. E pra mim, o que mais me marcou foi a matéria que fiz sobre os botos vermelhos”.

Lucas Amorelli é fotógrafo da agência francesa Le Pictorium e faz parte do projeto X Photographers da Fujifilm Brasil.

Quem quiser conhecer mais sobre o trabalho do Lucas é só acessar o site dele lucasamorelli.com

Lá tem as fotos produzidas por ele, vídeos, Blog, contato e redes sociais.

Lucas-blog.png

Adianto logo o instagram do Lucas pra vocês conferirem mais fotos lindíssimas dele: lucasamorelli

Sds amazônicas.

Manaus é Lar acolhedor, é energia boa da floresta amazônica..

Resolvi inaugurar o Blog no dia do aniversário de Manaus porque é uma data muito importante, não só pra mim, mas também pra todos os manauaras e para as pessoas que aqui fizeram lar.

Tentei reunir o máximo de pessoas que eu sei que sentem muito amor por essa cidade. E foi tanta gente legal disposta a demonstrar todo seu afeto pela metrópole da Amazônia, que fiquei super emocionada com os depoimentos. (choros).

Cada convidado falou o que Manaus representa, e só saiu coisa linda! Não por menos, porque mesmo com todas as mazelas que uma grande metrópole tem, as belezas e importância dessa cidade sobrepõem.

Essa semana vou postar algumas coisas bem legais sobre a cidade de Manaus. E ainda essa semana vai ser lançado um sorteio de um quadro do Teatro Amazonas. ❤

Blog

Aqui vai ser um espaço pra falarmos de cultura, de valorização artística, de eventos culturais, de turismo e sustentabilidade na Amazônia. Aos poucos a casa vai tomando forma e eu conto com vocês pra dicas e sugestões, colaborações, ações, e oes também! 😀

Quem quiser colaborar de alguma forma é só me chamar. O/ valorizasim@gmail.com

Sds amazônicas.