Na´kau: O chocolate mais puro do MUNDO é da Amazônia

Vários são os motivos que você tem para se apaixonar pelo chocolate Na´kau, o chocolate mais puro da Amazônia. Não apenas por ser uma experiência sensorial maravilhosa quando você come o chocolate, mas também porque a empresa Na´kau promove uma justa parceria entre o pequeno produtor, a natureza, e nós os consumidores.

Hoje estamos lançando um SORTEIO com 8 barras do chocolate Na´kau (a linha completa deles) e mais um saquinho de Nibs (amêndoa de cacau sem casca). Corre la no instagram do Blog: @valorizasim

E pra que vocês se animem ainda mais com o sorteio (como se chocolate já não fosse o bastante), eu vou enumerar 4 motivos pra vocês curtirem ainda maisssss esse chocolate, que já é meu queridinho! ❤

nakaucapa

1. É o chocolate mais puro do Mundo

Gente, vocês já pararam pra pensar o quanto somos privilegiados por morar na Amazônia? Com toda essa sociobiodiversidade podemos nos considerar a região mais rica do mundo. E de fato somos.

E com tanta singularidade não é estranho que na Amazônia tenha o chocolate mais puro do mundo, né? 🙂

A ideia de produzir o chocolate Na´kau é do empresário e biólogo Artur Coimbra, que explica que o chocolate Na´kau é  feito exclusivamente com cacau nativo da amazônia, da onde o fruto tem a origem.

“Somos a primeira e a única fábrica de chocolate do Amazonas que processa o chocolate a partir das amêndoas de cacau, utilizando recursos naturais da floresta e também valorizando o produtor”, expõe o idealizador da marca.

2. A Na´kau Valoriza o homem e mulher da floresta

A Na´kau entende que quanto mais se valoriza a população tradicional da região mais se propaga a harmonia que desejamos ter com a natureza. Afinal de contas, são as populações tradicionais da Amazônia as grandes guardiãs das riquezas naturais.

Segundo o empresário, essa valorização é feita por meio do pagamento para o pequeno produtor. “Pagamos 3 vezes mais do que o mercado costuma pagar para os extrativistas e com isso o produtor se sente mais motivado”, disse Artur Coimbra.

Conheça no aqui no link quem são os produtores responsáveis. =)

nakau1.jpg

3. A Na´kau ajuda a manter a floresta amazônica em pé

A Na´kau, além de pagar um preço justo aos produtores, faz capacitação com esses extrativistas para que o produto final tenha a maior qualidade possível. “E com essa capacitação os produtores fazem o que eles fazem de melhor que é todo esse cuidado na extração, e dessa forma, sendo bem remunerados, eles permanecem na zona rural”, comenta o biólogo.

E com toda essa valorização da mão de obra dos extrativistas que têm na floresta seu ‘ganha pão’, eles se veem satisfeitos com a demanda que a Na´kau propõe. “Com isso, o pequeno produtor ganhando mais, não precisa recorrer aos outros meios de extração na floresta que são proibidos, assim como na caça ou pesca ilegal, contribuindo assim com a conservação da floresta”.

4. Não tem lactose, glúten, nem conservantes

Muitos (quase todos) alimentos que consumimos hoje têm conservantes, sem mencionar os agrotóxicos. E nesse contexto, alimentos orgânicos se fazem cada vez mais necessários para manter a nossa saúde.

Pensando nisso, a Na´kau, para oferecer o chocolate mais puro do mundo, utiliza apenas as amêndoas do cacau selvagem e adição de açúcar. Não contendo conservantes, glúten, lactose, ou aromatizantes.

“Na produção do chocolate não adicionamos leite nem conservantes, adicionamos apenas açúcar e nada mais”, explica ele, acrescentando que o cacau da Amazônia é o cacau mais antigo e selvagem do mundo.

nakau2

E é dessa forma que a Na´kau se consagra como primeira e única fábrica de chocolate do Amazonas. Mas isso está longe de ser uma vantagem. “Queremos que outras empresas venham para o Amazonas pois assim nosso cacau e produtor serão cada vez mais valorizados”, finaliza Artur.

Eaí? O que vocês acharam da proposta da Na´kau? Maravilhosa, né? ❤
Vamos juntos rumo à popularização do puro, bom e justo chocolate? \o/

E se você quer degustar essa delícia veja no link os pontos de venda da Na´kau.
Conheça mais a história da empresa acessando aqui nakau.com.br.

 

Texto: Fernanda Farias – jornalista, idealizadora do Blog Valoriza sim.

Dia do artista plástico: conheça 3 amazonenses renomados

O que seria uma vida sem arte? Com certeza seria vazia, sem cor, sem romance, sem vivacidade.

E hoje – 8 de maio – é comemorado o dia do grande responsável por traduzir o mundo em arte, e arte no mundo, o artista plástico. ❤

E para comemorar a data resolvi falar de 3 artistas, dentre vários, que se destacam no Amazonas e no mundo.

Otoni Mesquita – A arte que salva

otonii.jpeg

Muito além de uma forma de aprofundar mais o conhecimento sobre a história da humanidade, a arte é capaz de mudar a vida de um artista. Foi o que aconteceu na vida o artista plástico Otoni Mesquita, amazonense de Autazes, que esta com a exposição “Ritos” na galeria de arte do ICBEU.

Quando questionado sobre a relação com a arte na sua vida, Otoni é bem enfático: A arte me salva diariamente. “Uma vez eu falei sobre isso numa palestra, sobre o significado da arte na minha vida, e eu, após refletir, chorei, porque percebi que na verdade a arte me salvou, sabe, ela me sustenta desde a infância”, comenta, relembrando que isso não acontece com todo mundo. “Vários artistas talentosíssimos ‘se perdem’ na arte e tiram a própria via”, disse lembrando dos famosos como o Vincent Van Gogh.

O artista premiado, enfatiza que arte virou uma é necessidade ao ponto de compara-a como uma relação amorosa. “O fazer artístico é muito natural, é igual uma relação amorosa. A arte me conduz sempre, mas é uma troca, preciso ouvir a minha obra e saber o que quer, porque qualquer nova ação pode mudar completamente o rumo das coisas”, comenta Otoni que é mestre em História e Crítica da Arte e doutor em História Social.

Arnaldo Garcez – Arte para o mundo

arnaldo.jpeg

É inegável que os artistas da região amazônica são muito benquisto e reconhecidos mundo a fora, assim como o manaura Arnado Garcez, cujo as obras já fizeram parte de 14 novelas, entre elas “mulheres apaixonadas”, “senhora do destino”, e a mais atual “do outro lado do paraíso”.

Formado em Artes Visuais no Parque Lage, na capital Rio de Janeiro, Garcez lembra que gostava de de desenhar desde o colégio, e ainda com pouca técnica, expôs pela primeira vez em 1977, na biblioteca pública do Estado do Amazonas. “Foi quando eu percebi que tinha que estudar e me mudei para são Paulo e depois fui para o Rio estudar”, conta o artista, acrescentando que na década de 80 foi para a Alemanha estudar litografia.

O artista fala em primeira mal que este ano virá para manaus como a exposição “Cangapé”. Segundo ele, as obras, que estão sendo produzidas agora, serão expostas na galeria de artes do ICBCEU em setembro, com lançamento previsto para o dia 12.

Eu adoro Manaus, eu sempre volto para minha cidade, gosto muito de expor aí. E nessa exposição eu vou levar o ‘Cangapés’ que é uma brincadeira de criança. Estou criando um trabalho abstrato para expor”, disse.

E em Manaus, Garcez também já trabalhou com ‘Arte educação’ com um projeto que trazia o urucum e carvão como materiais para compor alinguagem artística. “Foi um projeto muito bacana, apresentei não só na capital, na Ufam e em algumas escolas, mas também em Parintins, fui para Rondonia também”, lembra, ressaltando sobre a importância da arte no aprendizado das crianças. “Com a arte aprendemos a liberdade, do modo de pensar, de expressar, é fundamental na educação”, disse o artista que já expôs suas obras em diversas cidades do mundo, incluindo Nova Iorque (EUA).

Hadna Abreu – Arte como parte do ser

hadna.jpeg

Para muitos pintores a arte é tão natural que muitas vezes as obras se confundem com o próprio artista. E algumas vezes o fazer artístico se torna tão espontâneo como qualquer necessidade do corpo, como expõe a artista visual, Hadna Abreu.

A arte na minha vida é um órgão vital, é como ver, eu acordo e não penso ‘estou vendo’, eu simplesmente começo a enxergar. Com arte é a mesma coisa, quando eu percebo eu já estou pintando uma tela, já estou criando algo novo. Arte é parte de mim, é a forma que eu me comunico com as pessoas e com o mundo”, comenta Abreu que é professora de do Centro de Artes da Universidade do Estado do Amazonas (Ufam).

Sobre a profissão do artista plástico, a professora conta que este compõe as artes visuais. “O artista plástico ele é mais manual, ele esculpe, pinta, cola. Já o artista visual ela abrange mais para outras linguagens, participa de performances, engloba o audiovisual, tudo isso”, explica,

Questiona sobre suas maiores inspirações, a artista revela que tem como inspiração a vida em sua infinitude. “Me inspiro em tudo, na natureza, nas relações cotidianas, com amigos, famílias, tudo”, disse, ela lembrando da sua exposição mais marcante. “Com certeza foi a exposição que retratei meus avós, foi minha primeira exposição grande como artista e vi o quanto aquilo mexia com as pessoas. A velhice é um tema que mexe muito com as pessoas, essas ficam saudosas, e isso fez minha arte se aproximar delas”.

Sobre projetos futuros, Hadna garante que vem novidades em 2018, “Há quatro semanas atrás eu diria que não, mas agora o vulcão entrou em ebulição e comecei a criar várias coisas que estavam guardadas aqui dentro de mim, porque para mim, toda exposição precisa ter essência”, conta a artista que participou da exposição “filhas da rua” em janeiro no Centro de Artes Visuais Galeria do Largo, no centro de Manaus.

E vocês? Me contem sobre o artista amazonense preferido! ❤ 

Você sabia que Manaus tem um jardim botânico?

É isso mesmo, gente! Temos um lindo e amazônico jardim botânico. Muitas vezes já ouvi as pessoas se surpreenderem quando souberam que em Manaus existe um jardim botânico. E até uns dois anos atrás eu também não sabia disso. E olha que eu sou fascinada por tudo que é “amazônico”.

Por Caroline Rocha

Foto: Fernanda Farias

Eu apenas sabia do Jardim Botânico do Rio de Janeiro e de Curitiba, os mais famosos do Brasil. Mas, cá entre nós, o nosso jardim é muito lindo, peculiar e dá pra tirar fotos incríveis por lá.

Eu estou falando do Museu da Amazônia, o nosso Musa, que está localizado dentro da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Adolpho Ducke, na Avenida Margarita, S/N, Cidade de Deus, Manaus. É um pouco afastado do Centro da cidade, mas o lugar é de fácil acesso e tem estacionamento. E existem também alguns ônibus que passam em frente ao Musa. Eu mesma já fui de carro e de ônibus e garanto que valeu a pena todas as vezes que visitei esse lugarzinho de atmosfera encantadora.

Uma coisa que eu acho bem legal e quero compartilhar aqui são os eventos fixos que acontecem por lá. Se você é aventureiro ou gosta de contemplar a natureza em lugares diferentes essa dica é para você.

foto 1.jpg

O Musa oferece Observações de Aves, de Nascer e Pôr do Sol. As expedições de observação são guiadas e devem ser agendadas com antecedência. O valor é R$ 50,00 por pessoa, de segunda a domingo. E você pode ainda reunir os amigos e curtir essa aventura em grupo.

Quando há fenômenos astronômicos, como por exemplo, o Eclipse Total Lunar que ocorreu em 2015, o Musa também promoveu observações do alto da Torre do Musa. Então a dica é: fique atento no site e não perca essas emoções.

foto2.jpg

Aqui vão 4 razões que fizeram eu me apaixonar pelo lugar:

  1. Torre do Musa

Essa maravilha de 42 metros e 242 degraus possui uma vista deslumbrante para a floresta primária que a Reserva Ducke protege. Do alto da torre conseguimos ver o topo das árvores, os diferentes tons de verdes, pássaros sobrevoando nossas cabeças, alguns macacos e se dermos sorte, até conseguimos ver algum animal que está ameaçado de extinção morando por lá. É ar puro, energia pura!

Dica: Leve um binóculos e óculos de sol e passe bloqueador solar!

foto3.jpg

  1. Orquidário

Quem ama flores e cores como eu, vai se apaixonar pelo Orquidário e Bromeliário Nora Benchimol Minev, que é umas das atrações do Jardim botânico. Lá encontramos mais de 100 espécies de orquídeas e mais de 40 espécies de bromélias todas coletadas na Amazônia. Existem diferentes tipos dessas flores por lá, cores e aromas também. Vale a pena dar uma paradinha lá durante a sua visita.

Dica: Vá durante o desabrochar das orquídeas entre setembro a maio (dependendo da espécie).

foto4.jpg

  1. Laboratório Experimental

Se você é daquelas pessoas que gostam de saber sobre o comportamento, hábitos e alimentação de animais, precisa visitar os laboratórios do Musa. Lá você encontra o laboratório de serpentes, como jiboia (Boa constrictor), sucuri (Eunectes murinus) e cascavel-de-quatro-ventas (Crotalus durissus ruruima), laboratório de borboletas, laboratório de insetos, aracnídeos e cigarras. No Musa você pode encontrar os aquários com espécies nativas da região, como o poraquê (Electrophorus electricus), mais conhecido como peixe-elétrico.

Dica: Seja curioso e faça perguntas ao guia da excursão.

  1. Lago das Vitórias-régias

A primeira vez que vi uma vitória-régia na vida, foi lá. E tenho que dizer que fiquei emocionada pela grandeza e majestade dessa planta tão típica da Região Norte. O Lago do Musa é coberto por vitórias-régias (Victoria amazonica) de todos os tamanhos.

Dica: Sente-se na grama e contemple um pouco dessa maravilha.

foto5.jpg

Ahhh! Você sabia que as Vitórias-régias tem esse nome por conta da Rainha da Inglaterra, Vitória? Pois é, foi o guia do nosso grupo que contou essa curiosidade.

Vá de coração aberto e absorva o que a Amazônia tem de melhor, a energia.

E pessoal, o Musa é um lugar grande e possui muitas atrações que levam tempo para serem apreciadas e conhecidas, então separe um roteiro e chegue cedo.

Gostou e quer saber mais? Acesse o site do Museu da Amazônia.

Divirta-se e depois conta pra gente sua experiência!

Sobre a autora

Caroline Rocha é jornalista manauara, colaboradora do Blog. Trabalhou no INPA, e atualmente mora em Dublin, onde estuda e trabalha na cidade.

5 motivos pra você prestigiar no Teatro Amazonas o “Cúmplices da Arte Autoral”

Gente, vocês já ouviram falar do grupo “Cúmplices da Arte Autoral”? Se ainda não, essa é uma ótima oportunidade! O/

Amanhã (12 de janeiro) o grupo vai lançar o EP “Mostarda” no Teatro Amazonas, às 20h. Os ingressos custam de R$5 a R$20.

O “Cúmplices da arte autoral” é formado pelo Lucas Passos (Guitarrista, cantor e compositor); pelo Robert Ruan (Violonista e compositor); e pela Samantha Karlia (Artista Plástica).

Confere 5 motivos pra você não perder esse showzaço!!

1. Vai ser o lançamento do EP “Mostarda”

Um EP é um álbum com menos músicas do que o convencional. Segundo o cantor Lucas Passos (que também é músico e compositor), serão 5 músicas que falam sobre cotidiano, como romances e superação dos desafios da vida. Profundo, né?! Quero muito ouvir! 🙂

cumplices.jpg

2. Participação da Orquestra Puxirum

Eu adoro essa orquestra! ❤ Quem ainda não conhece, vai adorar também. O som deles é uma mistura muito massa dos ritmos regionais.

Quem quiser saber mais sobre eles: @orquestrapuxirum

puxirum.jpg

3. Participação de Marcela Bártholo

Quem não lembra dessa menina querida que encantou o The Voice Kids com aquele vozerão, heim!? Ela vai fazer uma participação mega especial no lançamento! 🙂

Sigam ela nas redes sociais: @marcelabartholooficial

marcela.png

4. Muita poesia do Otoni Mesquita e Priscila Pinto

Sempre acho que uma bela poesia é capaz de melhorar nosso dia, aliás, qualquer forma de arte já melhora, né?! 🙂

E amanhã pra abrilhantar ainda mais esse evento, o Otoni e a Priscila vão recitar poesias autorais para o público no intervalo das apresentações.

5. Participação da Banda Santrio

Que mistura boa esse evento vai trazer, gente! 😮 A Banda Santrio também vai fazer uma participação no lançamento tocando muita música boa! =]

santrio

Eu já fui num evento deles e amei de verdade! Por isso fiz esse post, porque sei que tem muita gente que curte arte vai gostar também! Espero vocês lá!

Sds amazônicas!:)

5 motivos pra assistir o espetáculo “O Quebra Nozes”

Genteeee, hoje (29) e amanhã 30 de dezembro vocês vão poder conferir um espetáculo lindo da Cia de Dança Encontro das Águas “O Quebra Nozes”, às 19h, no teatro do colégio Dom Bosco, centro da cidade de Manaus.

Confere 5 motivos para não perder esse balé que promete uma super produção!

1. É uma obra mundialmente conhecida

O Quebra Nozes é um espetáculo conhecido no mundo todo. Nessa época de fim de ano vários teatros do mundo apresentam de várias formas essa linda história.

Clara e fada açucarada.JPG

2.É um programa para toda família

Por ser uma obra infantil é um espetáculo que vai agradar toda a família, pode levar os filhos, a mãe, o sobrinho, que vai ser diversão garantida. O/

soldado e o rato rei.jpg

3. Todo ano tem novidade nas coreografias

A cia. De Dança Encontro das Águas traz desde 2011 esse espetáculo para a cidade de Manaus. Ao longo desses anos a diretora da companhia Juliana Borges, readaptou as coreografias originais trazendo sempre em suas apresentações novos figurinos, novos cenários e evolução na qualidade de suas apresentações.

clara e Drosselmeyer

4. É uma história linda e encantadora

O Quebra Nozes é uma história muito linda, né? Tem até um filme de 2010 dessa obra. Vocês conhecem a história?

Ela retrata uma história com muita fantasia e magia, típicas do romantismo. Conta as aventuras de Clara, a protagonista, que recebe de presente de natal de seu padrinho Drosselmeyer um boneco quebra nozes, que surge em forma humana vestido de soldado no quarto da menina para defendê-la contra o rato rei e seus ratinhos. O fim da história vocês conferem no balé! ❤

valsa da grande apoteose.JPG

5. A cia de Dança Encontro das Águas promete um lindo espetáculo

Segundo a diretora da Cia, Juliana Borges, para que o espetáculo fosse realizado com excelência, a companhia de Dança Encontro das Águas junto à escola de ballet se dedicou três meses de ensaios de segunda à sábado para trazer ao palco 25 coreografias divididas em dois atos.

Além disso, foram confeccionados 63 figurinos, um novo cenário e envolve em seu elenco um total 40 pessoas além de uma equipe de produção”, explicou a diretora.

 

Quem aí tá animado pra ver esse balé incrível? O/

O quê? Espetáculo de Dança

Quando?  Dias 29 e 30 de dezembro

Quando?  Dias 29 e 30 de dezembro

Quanto? Trinta reais

Onde? Teatro do Colégio Dom Bosco

Agenda Cultural – 18 a 23 de Dezembro

agenda cultural

19/12

  • Musical Ceci e a Estrela – O Natal na Floresta.

Teatro Amazonas

18h e 20h

 

  • Espetáculo de dança “ Diário de um Feto”

Palacete Provincial

14h-15h

 

  • Festival Amazonas de Corais

Paço da Liberdade, rua Gabriel Salgado, Centro

17h às 21h

 

  • Casa do Papai Noel

Casa das Artes, largo São Sebastião, Centro

18h às 21h

 

  • Apresentação Espetáculo “A Carta

Palácio Rio Negro

19h

 

  • Espetáculo de Dança – É de bom Tom

    Teatro da Instalação

    19h-21h

 

  • I Encontro de Percussão do Amazonas

    Teatro Gebes Medeiros

    17h – 21h

 

  • Exposição “Amazone-se”

Palácio da Justiça, centro de Manaus

Terça a sexta – 9h às 14h

Domingo – 9h ás 13h

 

20/12

  • Musical Ceci e a Estrela – O Natal na Floresta.

Teatro Amazonas

20h

 

  • Espétaculo “Nelken: Anfragen”

Teatro da Instalação

19h as 21h

 

  • Gravação Especial Cartola

Palácio da Justiça

9h – 17h

 

  • Casa do Papai Noel

Casa das Artes, largo São Sebastião, Centro

18h às 21h

 

  • Samba diferente – show musical

Teatro Gebes Medeiros, Centro

18h

 

21/12

  • Show Antônio Pereira

Palácio Rio Negro

16h 21h

 

  • Musical Ceci e a Estrela – O Natal na Floresta.

Teatro Amazonas

20h

 

  • Clássicos Amazônicos (música)

Teatro da Instalação

19h – 20h

 

  • Casa do Papai Noel

Casa das Artes, largo São Sebastião, Centro

18h às 21h

 

22/12

  • Orquestra Puxirum

Palácio da Justiça

19h

 

  • Musical Ceci e a Estrela – O Natal na Floresta.

Teatro Amazonas

18h e 20h

 

  • Espetáculo “O Mendigo ou o Cão Morto”,

Teatro Amazonas

17h

 

  • Selecta • especial DUA LIPA

Sonora Music, Av Alvaro Maia

18h

 

  • Casa do Papai Noel

Casa das Artes, largo São Sebastião, Centro

18h às 21h

 

23/12

  • Pacovan = Cozinha Vegana Amazônica + Música

Vila Vagalume

11h às 22h

 

  • Ocidente Acústico Cultural

Bar do Cabelo

15h às 23h

 

  • Festival Batalhas Urbanas 

Teatro da Instalação

16h

 

  • Vestido Queimado

Casarão de Ideias, Rua Barroso centro

19h

R$15 meia

 

  • Casa do Papai Noel

Casa das Artes, largo São Sebastião, Centro

18h às 21h

 

Museu do Porto da cidade de Manaus será restaurado e abrigará um Centro Cultural

Olha, que notícia boa, gente! O Museu do Porto, que está fechado há alguns anos, agora será restaurado pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos – ManausCult. Ontem (12) foi assinado o termo de posse pelo prefeito Arthur Neto e o Secretário Municipal de Cultura Bernardo Monteiro.

Segundo a ManausCult, este restauro faz parte do projeto da Prefeitura de “Ressignificação do Centro Histórico de Manaus”, como foi feito recentemente com a praça da Matriz. Mas na verdade, esse projeto começou em 2013, com a reinauguração do Mercado Adolpho Lisboa, vocês lembram?

museu.jpg

O secretário Bernardo explicou que dentro do museu será abrigado um centro cultural onde será mais um espaço no centro da cidade para manifestações artísticas. Lá também funcionará o novo endereço da ManausCult, que hoje funciona na Av. André Araújo.

IMG_0105 copy.jpg

O Museu do Porto é tombado pelo Iphan, por abrigar parte da história da navegação do Amazonas, ele funcionou como casa de máquinas da “Manaós Harbour” até 1983. E lá no pátio ainda mantiveram a locomotiva a vapor e também uma locomotiva elétrica.

A previsão de entrega da restauração do Museu do Porto é para até o fim do mandato do prefeito, segundo a prefeitura de Manaus.

IMG_0106 (1) copy

Além do Museu do Porto, outros lugares da cidade com valor histórico serão restaurados pelo projeto da prefeitura, como as duas casas mais antigas de Manaus, conhecidas como casa 69 e casa 77, que serão entregues restauradas em 2018. No plano estratégico ainda está a Biblioteca Municipal João Bosco Pantoja Evangelista, as praças Adalberto Vale e Tenreiro Aranha, o antigo prédio da Câmara Municipal de Manaus, e o Hotel Cassina, que era o Cabaré Chinelo.

ancora.jpg

10 curiosidades sobre o fruto do guaraná que você precisa saber

Até dia 12 de janeiro, o Sesc São Paulo estará com a exposição “Guaraná da Amazônia”, levando a história, a lenda e a cultura em torno do guaraná. São fotos lindíssimas dos fotógrafos Michael Dantas e Bruno Kelly, ambos moram e atuam em Manaus.

Durante a exposição, o visitante poderá conhecer mais sobre a origem do fruto, o deslocamento geográfico realizado ao longo do tempo, além de conhecer o modo de produção e ainda o impacto do guaraná na economia e na cultura. Legal, né?! Queria tá em Sampa pra ir! #choros.

Por conta da exposição, resolvi falar um pouco sobre o fruto, porque tenho certeza que muita gente tem curiosidades sobre a lenda do guaraná e também sobre os benefícios que ele traz pra saúde.

Então, já que nem todo mundo vai poder conferir de perto essa lindeza de exposição, confere aqui 10 curiosidades sobre o fruto do guaraná e claro, as fotos belíssimas dos fotógrafos!

expo.jpg

1. A lenda diz que o fruto do guaraná são olhos de um índio

Diz a lenda que um casal da etnia Maué queria muito ter um filho, mas não conseguiam, daí, eles pediram à Tupã (Deus). Assim nasceu um índio que se tornou muito bom pra comunidade, só que Jurupari (Deus da escuridão) tinha inveja dele e resolveu se transformar numa cobra para matá-lo. 😮

Tupã, claro, ficou bem chateado, e ordenou que tirassem os olhos do menino e regassem por 4 luas, com lágrimas, e dali nasceu a “planta da vida”, que dá força e vitalidade aos jovens e aos mais velhos, o guaraná.

1

2. Maués é considerada a capital mundial do guaraná

Maués, município do Amazonas (270 km de Manaus), é conhecida por sua grande produção de guaraná (ver depois item 10), por isso é conhecida também como a “Terra do guaraná”. O nome da cidade originou da etnia Sateré-Mawé que nessas terras vivem.

E é na terra do guaraná que tem uma fábrica da Ambev, e é ali, na Fazendo Santa Helena que começa a ser produzido um dos guaranás mais consumidos no Brasil, o guaraná Antarctica.

2.jpg

3. O guaraná tem auto valor energético

Sabiam que o guaraná (nome que vem do Tupi ‘Waraná’) tem propriedades estimulantes? Pois é, a ingestão dele aumenta a resistência física, melhora os esforços mentais e musculares também.

Não é a toa que o guaraná, hoje em dia, é muito consumido, não só no norte, mas no Brasil todo, em formato de xarope que colocam no “açaí”. Aqui a gente toma uma vitamina de guaraná muito maravilhosa que todo mundo deve experimentar quando vier pra Manaus. É bom demais! #quero.

3. bruno

4. O fruto prolonga a longevidade

Esse fato é comprovado pelos próprios moradores do município de Maués, já que lá é uma das melhores taxas de expectativa e qualidade de vida na Amazônia. #Ahazaram.

4.bruno

5. Existe uma festa que comemora o dia do fruto

A Festa do Guaraná é realizada em Maués (claro), acontece todos os anos na segunda quinzena do mês de novembro.

São três dias de muita festa, com apresentações culturais que encenam a lenda e a cultura do guaraná. Além disso, durante a festa tem shows locais e nacionais, e também muita comida típica boa.

Ahhh, também tem um concurso de beleza onde é eleita a rainha do guaraná, legal, né?! Nunca fui, mas morro de vontade de ir!

5.bruno.jpg

6. O guaraná é considerado afrodisíaco e ajuda na perda de peso

Paraa tudo! Sabiam que o consumo do guaraná aumenta o gasto calórico diário? E também ajuda a diminuir o apetite, por manter estáveis os níveis de glicose no sangue?! #quero 😮

Ele também é considerado um afrodisíaco porque aumenta a disposição física e desempenho sexual. Mas oh, se forem testar, tomem cuidado, porque ele é energético né (dose recomendada é de 1g apenas). E como todo energético tem suas contraindicações..grávidas, lactantes e pessoas com problemas do coração não podem consumir guaraná. #FicaoAlerta.

6

7. Os índios Sateré-Mawé inventaram a cultura do guaraná

Os índios Sateré-Mawé são os inventores da cultura do guaraná, eles que domesticaram essa planta, que é uma trepadeira silvestre, e criaram o processo de beneficiamento da planta, e é por causa deles que o guaraná é conhecido e consumido no mundo todo. ❤

Em 2015 tive a honra de conhecer a Terra-Indígena Andirá-Maraú, lar dos Sateré-Mawé, e pude vivenciar de pertinho a cultura no entorno do guaraná. O INPA, UFAM, IDESAM e outras instituições fazem um trabalho bem bonito com a comunidade relacionado à agroecologia.

Quem quiser saber mais tá aqui o link da matéria aqui.

7.jpg

8. A Europa é a principal consumidora do guaraná Sateré

Quase 100% do guaraná produzido pelos Sateré-Mawé vai para a Europa. Lembro que na viagem que eu fiz para o lar dos Sateré, um dos pesquisadores comentou que lá na Europa eles adquiriam o hábito de consumir o guaraná diariamente, mas claro que não são todos os países.

8

9. Os índios usam a língua do peixe pirarucu para ralar o guaraná em bastão

O mais comum é encontrar o guaraná já em pó ou em formato de xarope, né?! Mas ele também pode ser vendido em bastão, e para ser consumido basta ralar o bastão de guaraná na língua do pirarucu, que um peixe maceta daqui da Amazônia.

9

10. O Guaraná Antartcica já fez um comercial bem legal em Maués

Ano passado o Guaraná Antarctica gravou em Maués esse comercial lindo sobre a época da colheita do fruto. O mais bacana foi que eles chamaram os produtores pra participar do vídeo, valorizando o trabalho essencial da comunidade. ❤

10.bruno.jpg

E é na Fazenda Santa Helena que o Guaraná Antarctica estuda e produz conhecimento sobre as melhores práticas para o cultivo do fruto, que anualmente são compartilhadas com as mais de 2500 famílias da região que vivem do cultivo de guaraná. Assistam o comercial! 🙂

Eles também realizaram o sonho do Danilo, filho de um dos produtores de guaraná, que era entrar num estádio de futebol e ver a seleção brasileira, e o Guaraná Antartica realizou o sonho dele. O vídeo é bem emocionante, se preparem! #choros

Eaí, sabia tudo isso sobre o guaraná?!

Sobre os fotógrafos

bruno-perfil)

Bruno Kelly – É formado em jornalismo e tem 33 anos, natural do interior de São Paulo. Em 2009 se mudou para Manaus, onde desenvolve trabalhos para diversos veículos e ONGs do Brasil e exterior. Em suas documentações aborda a rica fauna e flora local assim como os crimes contra esse patrimônio mundial, a Amazônia.

michael-foto

 

 

Michael Dantas – Natural de Manaus (AM), 32 anos, trabalha como repórter fotográfico desde 2006, e já atuou nos principais jornais da região norte e nordeste. Fascinado pela região Amazônica, o fotógrafo registra em suas lentes imagens da cultura cabocla, do cotidiano e das belezas naturais do norte do país.

PS:. As fotos não podem ser utilizadas sem permissão dos autores.

Por Fernanda Farias – Jornalista, idealizadora do Blog Valoriza Sim.

8 motivos para curtir um REGGAE mara nesse fim de semana

Reggae é muito bom, né, gente? É uma música que acolhe a alma, que quando a gente dança parece que estamos flutuando de tanta leveza que é esse som. Eu ADORO!

E nesse sábado, 4 de novembro, vai ter uma sonzera respeitada nessa Manaus! ❤

É o 1º Circuito Reggae Manaus, que vai acontecer lá na Rua José Clemente com a Lobo D´almada, no centro (na rua do Caldeira, atrás da Santa Casa de Misericórdia)

Sei que só de falar que é reggae vocês já querem ir. Mas mesmo assim vou dar 8 motivos pra querer ir dicunforça.

circuito-reggae

1. É um evento estilo Festival

Serão 10h de muita músicaa! Olha o que vai rolar:

16:00 – Manaura Roots – siga: @manauararoots92
16:40 – Reggae a Selva – siga: @banda_reggae_a_selva
17:20 – Cileno – siga:@cilenoconceicao
18:00 – Solar Roots – siga:@solarroots
18:40 – La Responsa – siga:@bandalaresponsa
19:20 – Daniel (Linha Rasta) e Zelito (Garras de Leão)
20:00 – República Regional – siga:@republicaregional
20:40 – Ponto Vital
21:20 – Johnny Jack Mesclado
22:00 – Santakaya – siga:@santakayareggae
22:40 – Canhamukaya

cileno

2. Bandas consolidadas de Manaus vão tocar

É muito bacana prestigiar nossas bandas de reggae que já estão na estrada um tempão, já sabemos todas as músicas e é só festa!! o/

Cileno, Jonnhy Jack, Banda linha Rasta, Garras de Leão, e Canhamukaya são exemplos das bandas consolidadas em Manaus.

Jonny jackBanda Jonnhy Jack Mesclado é uma das bandas bem famosas de Manaus.

3. Chance de conhecer o que tem de novo no cenário regueiro

Conhecer bandas novas também é muito bom!! Sempre tem aquela música com a qual nos identificamos.

Manauara Roots, Santakaya, La Responsa, República Regional, Ponto Vital, Solar Roots, Reggae a Selva, são algumas bandas consideradas novas no cenário regueiro da cidade.

La responsa.jpgLa Responsa é uma banda considera nova, mas que vem agradando o público.

solar roots.jpgAssim como a banda Solar Roots que vem conquistando seu espaço.

4. Conhecer uma banda de reggae de fora, a Reggae Distrada

A banda reggae de Distrada estará com o vocalista Adriano fazendo participação no show da Canhamukaya. Ele já tem trabalho gravado e vem divulgando em todo Brasil” – Elson Baruk, organizador do evento.

5. O ingresso é super em conta

R$5 contos, minha gente, apenas cinco reais. Massa, né? Sobra mais pra comprar água (cof, cof), cerveja, uns bons drinks, e tudo mais. =]

manauara roots

Banda Manauara Roots marcará presença no evento.

6. Exposição de trabalhos artísticos no local

Serão expostos trabalhos variados de artistas locais, hippies vendendo artesanato, tudo de bom. Não sei vocês, mas eu amo aqueles brincos de penas e também aquelas tornozeleiras de corda colorida, sempre tô com duas nos tornozelos, porque Já abençoa! 🙂 ❤

Santa Kaya.jpgA banda Santa Kaya promete uma sonzera respeitada no festival

7. Feira de roupa, vinis, CD´s e DVD´s

Olha isso, que bacana, gente!! No dia do Festival a gente vai poder adquirir camisas, cd´s, dvd´s e até vinis das bandas de Reggae local preferida. 😮

Daniel-linha rasta.jpgDaniel da Linha Rasta será uma das atrações do dia.

8. Fortalecer e apoiar os músicos locais

É muito legal gostar, ouvir, curtir vários artistas do mundo todo, mas como é importante apoiar a música local, né não?! E para apoiar, antes de tudo, é preciso conhecer! 🙂

ponto VitalBanda Ponto Vital tocará a partir das 20h40 da noite.

E eventos como este nos dão oportunidade de conhecer MUITO sobre as bandas e músicos que estão tocando na cena amazonense.

Gostou? Então, Bora todo mundo! O/

11 fotos clichês que todo mundo quer em Manaus

Todo mundo gosta de uma foto clichê em qualquer cidade, em Manaus não seria diferente. Aqui tem tantos lugares maravilhosos para passear, contemplar e, claro, fotografar! \o/

Listei algumas fotos bem legais de amigos em alguns lugares mais clichês de Manaus.

Então lá vai!

  1. No Teatro Amazonas


“O Teatro Amazonas é nossa famosa casa de espetáculos, que todo mundo ama, que todo mundo quando vê pessoalmente fica deslumbrado. O Teatro Amazonas realmente é um lugar encantador por fora, e por dentro ele se torna mágico, para mim é um lugar inspirador. Todo Amazonense precisa visitar, seja a visita guiada (que é grátis para amazonense) e também assistir um espetáculo na casa, seja a filarmônica, grupo de dança, peças de teatro, tudo vale muito a pena nesse lugar!”. – Hadna Abreu, Artista Visual, manauara.

hadna.JPG

Falando em Teatro Amazonas e em Hadna Abreu, o SORTEIO dessa ilustração que ela fez do Teatro ainda tá valendo. Corre lá no instagram pra concorrer! ❤

  1. Em algum Flutuante

E um lugar com uma linda paisagem, que me mostra como e bom estar em contato com o ambiente natural”. – Iris Rianne, Bióloga, de Sergipe, mora em Manaus.

No dia da foto foi a primeira vez que fui num flutu e ir lá me trouxe uma sensação muito boa de pertencer a algo muito grandioso e belo, a natureza”. – Kamile Vieria, estudante de Engenharia Ambiental, de Belém (PA), mora em Manaus.

iress.jpg

  1. Fazendo sup no rio negro

A prática de SUP no Rio Negro é uma forma diferente e barata de contato com a natureza. Você não depende de uma lancha ou jet pra passear por essa estrada fluvial. Dependendo da sua vibe você pode ir sozinho (perfeito pra uma meditação) ou acompanhado dos amigos, porque compartilhar desse tipo de experiência também é uma forma de amor. O quão longe e imerso na atividade a pessoa vai depende única e exclusivamente dela mesma. É muito bom”. – Leonardo Ramos, Técnico em Eletrônica no INPA, mora em Manaus.

leo

  1. Na Ponta negra

“A ponta negra é um local em Manaus onde a cidade e a natureza se encontram. E isso prova que as diferenças unem e não separam”. – Daniel Jordano, jornalista, mora em Boa Vista.

dani

Karla Rosas, Blogueira de Moda (@barefashionweek), mora em Manaus.

Olhem esse pôr do sol maravilhoosooo! ❤

FullSizeRender (1)

Manaus tem seus encantos, só precisa ser mais apreciada por quem aqui reside”. – Júlia Ferreira, Engenheira de Alimentos, Paraibana, mora em Manaus.

FullSizeRender (3)

Jéssica Ramos, Skatista, mora em Manaus.

IMG-7330.JPG

  1. Vista pra Ponte Rio negro 

Contemplar a beleza do Rio Negro e o pôr do sol é o verdadeiro alimento para a minha alma. Só Manaus/Amazonas tem esse privilégio”. – Hiago Henrique, estudante, mora em Manaus.

hiago.jpg

  1. Na torre do Musa

Manaus é terra boa, cheia de peculiaridades, conhecer a torre do MUSA, foi uma experiência incrível, com 42 metros e 242 degraus a vista do topo da torre é maravilhosa, dá pra vê o imenso verde das árvores, o azul lindo do horizonte e um por do sol que renova as energias.
Vale a pena cada degrau!”. – Kayte Botelho, Cirurgiã Dentista, mora em Manaus.

FullSizeRender (2)

Gosto muito do Musa por dois motivos: ele me proporciona aventura e encantamento. A primeira vez que fui foi tão incrível que voltei lá mais duas outras vezes e levei pessoas queridas comigo para conhecer um pouco mais dessa mini amazônia que tem ali dentro”. – Caroline Rocha, jornalista, mora em Dublin.

carol.jpg

  1. Com alguma comida típica, como tambaqui, tacacá e é claro, o açaí

Açaí é um caso de amor, não consigo pensar no norte sem pensar nesse fruto que já me fez tão feliz. Se não for para tirar fotos tomando aquele açaí maroto em um dos pontos turísticos de Manaus, é melhor nem ser Amazonense”. – Ann Kath – blogueira no Amazonas Atual, mora em São Paulo.

ann.jpg

  1. No Bosque da Ciência

Pra mim é um lugar Irresistível! Passo todos os dias por esses tanques, mas não canso de separar alguns minutinhos pra apreciar esses animais tão serenos! É minha meditação diária! Sou privilegiada de trabalhar no Bosque!”. – Fernanda Reis, Bióloga e Educadora Ambiental, de Sergipe, mora em Manaus.

DCIM100GOPROGOPR2116.

  1. Com as vitórias-régias

Eu amei muito esse lugar, as vitórias-régias são lindas! É um ótimo lugar para vistar, você pode meditar e tirar o estresse do cotidiano”. – Luciana Costa, fisioterapeuta, manauara, mora em Gramado.

luu.jpg

  1. Com os grafites lindos da cidade

“Eu acho muito legal os grafites. Adorei mais ainda os “novos” – na época que sai de Manaus ainda não tinha alguns, como o do Viaduto da Djalma Batista! É melhor grafitar do que “pixar”, deixa a cidade alegre. Acho válido como uma forma de expressão também!”. – Jéssica Zany, Designer de Moda, manauara, mora em Curitiba.

zany.jpg

É uma das ruas que eu mais amo, tem várias obras lindas e dá vontade de tirar foto com cada arte, outra que é impossível não abrir um sorriso na parte do muro que tem o nome das crianças. Certeza que Manaus vai ficar mais linda com várias grafites assim espalhadas pela cidade!”. – Glenda Nayara, estudante, mora em Manaus.

FullSizeRender (4).jpg

  1. Na praia da Lua ou no Tupé

Senti uma sintonia muito forte entre a beleza natural e minha satisfação pessoal. A praia da Lua, é uma praia diferenciada, transpassa calmaria, a água é quentinha, relaxante e ainda proporciona uma visão maravilhosa. E digo mais, foi amor a primeira vista, é um dos lugares lindos que Manaus tem a oferecer”. – Dayane Santos, professora de matemática, mora em Itabaiana (SE).

Dayy.JPG

Géssica Araújo (manauara) e Marília Gabriela (paulista), moram em São Paulo.

geh.JPG

Eaí, qual foto clichê você mais gostou? Faltou alguma? Manda pra gente! ❤